Vitória de Pirro!


Coluna de KENNEDY ALENCAR- na Folha de SP.

Vista em si mesma, foi uma vitória de Pirro -clichê que cai como uma luva nesse caso. O pefelista José Thomaz Nonô (AL) foi batido por diferença de apenas 15 votos (placar de 258 a 243). Muito pouco para um governo que moveu mundos e fundos. Lula chegou ao ponto de negociar com Valdemar Costa Neto, presidente do PL que renunciou para não ser cassado, e pagou caro, em termos de cargos e verbas, à turma do "mensalão" (PP, PL e PTB).

Do ponto de vista legislativo, o resultado mostrou uma Câmara dividida ao meio e uma base do governo que não existe na prática. Dificilmente, Lula retomará a "governabilidade" que perdeu com a crise. Elegeu um aliado que não terá força para agir sem o consentimento da oposição. A ala oposicionista do PMDB perderá qualquer cerimônia de se juntar à eventual aliança PSDB-PFL, ainda que como força periférica.

A traição do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a Michel Temer, simplesmente o presidente do seu partido, deverá reforçar a dissidência peemedebista. No médio prazo, deverá restar a Lula caminhar para uma campanha à reeleição com os aliados tradicionais do PT, o PSB e o PC do B.

<< Home