Vice- Alencar


EM LONGA ENTREVISTA VICE-ALENCAR NÃO É FIRME EM RELAÇÃO AO IMPEACHMENT DE LULA, DIZ QUE LULA VIAJA MUITO, QUE QUER SER CANDIDATO A ALGO, E QUE MUDA POLÍTICA ECONÔMICA.

Alencar - Se acontecer,(impeachment) independentemente da minha vontade, eu não abro mão do cumprimento do meu dever e não abro mão também dos meus direitos. Claro, completamente. preparado para assumi. / - Eu não sou especialista nisso. O que eu sei é que as CPIs, o Conselho de Ética, a Polícia Federal, todos estão investigando de forma rigorosa e cabal. Não posso fazer um prejulgamento, dizer que o que está aí já seja suficiente para justificar o impeachment do presidente. / - É só conhecer a agenda do presidente, não só interna como externamente, porque viaja muito, para saber que ele não teria espaço para estar cuidando da administração partidária. / - Pela minha experiência, é muito difícil que um banco faça empréstimos,(Valério-PT), assim, sem garantia absoluta, é muito difícil./ - Essa hipótese,( de não concorrer em 2006), era a única que existia no momento em que eu tomei a decisão de me afastar [do partido]. Estava sentindo desconforto total. / - Mudo essa política monetária, assessorado pelos economistas mais brilhantes e mais experientes do meu país. Imediatamente, os convidaria, como Paulo Nogueira Batista.

<< Home