Uso do Fundo Partidário Para Viagens de Parentes de Lula e Palocci:


GRAVE IRREGULARIDADE!

Estado de SP.


Para o ex-ministro do TSE Walter Costa Porto, o relator do caso, ministro Gilmar Mendes, tem duas opções. "Ou ele considera os pagamentos um fato menor e manda o partido pagar, ou ele rejeita as contas por completo", explicou. "Eu acho os gastos irregulares. Não tanto pelo valor, mas pela natureza dos pagamentos. Certamente é grave", comentou. Jorge Maurique, presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), não vê complicações no caso. "É um desvio claro de finalidade. Qual o interesse partidário em pagar viagens para familiares de Lula e do Palocci? Não vejo."

<< Home