Temer e a Traição de Renan Calheiros


JB.
O flerte de Michel Temer (PMDB-SP) com o pefelista José Thomaz Nonô (PFL-AL), ambos candidatos à presidência da Câmara, tem como pano de fundo duas disputas políticas: Temer está magoado com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que lhe estimulou a candidatura na semana passada para, no mesmo dia, puxar o tapete e fechar o acordo com o governo. Do outro lado, está a política alagoana. Renan apóia o comunista Aldo Rebelo, do mesmo partido de seu irmão, Renildo Calheiros (AL), para não fortalecer o conterrâneo Nonô.

O presidente do PMDB mira em Aldo, mas quer acertar em Renan Calheiros, um dos cabos eleitorais mais fortes do candidato comunista. Na semana passada, o presidente do Senado afirmou assegurar apoio a Temer para, horas depois, tornar-se um dos principais defensores do nome de Aldo. Temer evita atacar Renan, mas ontem, ao ser questionado sobre o presidente do Senado, ironizou: - O Renan deve estar preocupado com a candidatura do Aldo - cutucou. Temer tenta minimizar a força do presidente do Senado entre o PMDB na Câmara. Diz que os deputados não gostaram da postura de Renan de apoiá-lo e depois trabalhar por Aldo.
Blog do Cesar Maia

<< Home