Renúncia de Dourado Incrimina Palocci! E Chega a Lula!


Coluna do Merval no Globo.

O pedido de demissão do chefe de gabinete do ministro Antonio Palocci, prontamente aceito, traz a marca das incongruências que dominam as ações desse governo politicamente desastrado. Não importam as razões alegadas por Juscelino Dourado, e sim a inconveniência do momento. Pedindo para sair do Ministério da Fazenda logo após seu depoimento na CPI dos Bingos, onde defendeu ardorosamente as ações de seu chefe e negou as acusações contra ele, Dourado coloca em descrédito todas as suas afirmações, e joga novamente o foco das acusações sobre a figura de Palocci.

Mas seja o que for que determinou sua saída, ela reforça o desmanche da administração de um governo que teve que trocar mais de seis dezenas de figuras-chave na gestão, inclusive uma penca de ministros, numa crise política que atingiu o “núcleo duro” do governo, instalou-se no Palácio do Planalto pelo Gabinete Civil, e está na soleira do gabinete presidencial, blindado até o momento pela falta de disposição da oposição de chegar ao impeachment.

<< Home