Palocci , Buratti & Barquete


Quebra de sigilo telefônico : o início do estudo.


Folha de SP.
A quebra do sigilo dos telefones celulares de Buratti no ano de 2002, em poder da CPI dos Bingos, revelou pelo menos quatro ligações do advogado para telefones celulares do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, então prefeito de Ribeirão Preto (SP), e outras dez para o então secretário municipal de Fazenda de Ribeirão, Ralf Barquete.Na época das ligações, Buratti ocupava uma das quatro vice-presidências do Grupo Leão Leão.Segundo os dados do sigilo telefônico, aos quais a Folha teve acesso, Buratti ligou para dois celulares usados por Palocci. Uma ligação, quando Antonio Palocci já estava licenciado do cargo de prefeito e exercia a função de coordenador da campanha presidencial de Lula, ocorreu aos 35 minutos da madrugada. Das dez ligações do celular de Buratti para o celular de Ralf Barquete, cinco ocorreram em fevereiro de 2002, mesmo mês em que a Leão Leão assinou o contrato de R$ 41 milhões com a gestão de Palocci. Buratti fez outras seis ligações do seu celular para o aparelho de Ralf Barquete nos dois primeiros meses de 2003. No primeiro ano da gestão de Lula, Barquete passou a exercer o cargo de consultor da presidência da Caixa Econômica Federal (CEF).

<< Home