Operador do mercado financeiro entrega tudo.


Entra até vereador do PCdoB do Rio.

PT do Rio,...no pântano !
Fundos de Pensão na base de tudo.

Estado de Minas.
Alexandre de Athayde Francisco resolveu contar a verdade. Operador experiente do mercado financeiro carioca, Athayde afirma conhecer a fonte do caixa 2 do PT. Segundo ele, o empresário Marcos Valério, cumpre um papel menor na trama do que lhe é atribuído. O grande escândalo, diz, são os milhões e milhões de reais tirados do patrimônio de oito fundos de pensão – Real Grandeza, Refer, Portus, Prece, Nucleos, Previ, Petros e Funcef – pelo grupo do empresário Haroldo de Almeida Rego Filho, conhecido no ramo pelo apelido de Pororoca. Os milhões serviriam ao enriquecimento pessoal de uns e ao financiamento eleitoral de outros. A chave da arca do tesouro dos fundos de pensão teria sido dada a Rego Filho por Luiz Gushiken. Mas não só por ele. Para fazer Haroldo Pororoca chegar às tesourarias dos fundos, foi preciso tecer uma delicada rede de influências políticas, que, segundo o relato, passou pelo vereador Fernando Gusmão (PCdoB-RJ), pelos deputados Carlos Santana (PT-RJ) e José Dirceu (PT-SP) e por dois dirigentes do PT fluminense, Marcelo Sereno e Manoel Severino dos Santos. Sereno foi assessor de Dirceu na Casa Civil. Santos presidia a Casa da Moeda até um mês atrás.

<< Home