O Guarda Roupa da Dona Marisa! Costureiro Entrega Tudo!


De Monica Bérgamo-FSP- entrevistando o costureiro da primeira dama e do presidente !


Quem pagou pelos 27 tailleurs e 15 ternos que o estilista capixaba Ivan Aguilar fez para a primeira-dama, Marisa Letícia, e o presidente Lula no ano passado?

Primeiro ele disse que a Presidência arcou com os custos -algo como R$ 30 mil, já que ele cobra de R$ 800 a R$ 1.200 por peça. Logo se corrigiu: o próprio presidente Lula teria pago, com cheque e tudo. Agora, surge uma terceira explicação de Aguilar: as roupas foram doadas ao casal. O Palácio do Planalto endossa a versão. Em SP para o lançamento de sua coleção de verão, Aguilar falou à coluna:

Folha - Você disse também: "Quando a dona Marisa quer comprar mais do que pode, ele [Lula] fala nada disso, nem pensar, está muito caro". Como se ele pagasse pelas roupas.

Aguilar - Aconteceu o seguinte: fui a Brasília [no segundo semestre de 2004] levar roupas para a primeira-dama. Dona Marisa e eu ficamos o dia inteiro vendo roupa. Deixei 18 conjuntos com ela e ia cobrar, pela primeira vez, pelas peças. Aí um dos assessores [da Presidência] me ligou e falou: "Ivan, o Lula brigou com dona Marisa. Achou que ela comprou demais. Ele quer que você volte aqui para retirar algumas coisas porque ela não vai ficar com tudo." Eu estava num compromisso e não pude passar lá para pegar as roupas. No dia seguinte, voltei para Vitória (ES).

Folha - O presidente Lula já tinha pago pelas roupas?

Aguilar - Ele ia pagar depois. Essa foi a única vez que eu cobrei. Estou falando a verdade pura. Das outras vezes eu não tinha cobrado nada.

Folha - E você já tinha ido lá outras vezes?

Aguilar - Já, várias vezes. Era sempre pouca encomenda, entendeu? Dois, três terninhos. Não dava para eu cobrar. Presta atenção: você está dando uma roupa para o presidente e para a dona Marisa. Você não cobra. E aquilo redunda em estratégia de marketing para você.

Folha - Você, afinal, pegou parte das roupas de volta?

Aguilar - Eu fiz aquelas roupas exclusivamente para ela, sob medida. Não teria para quem vender. Eu fiz as contas: fiz 18 peças. Se ela pagasse por três, não cobriria nem o gasto da costura, da linha. Então falei [para a assessoria de Lula]: "Diz para a dona Marisa que é tudo presente".

Folha - E o cheque que o Lula teria dado a você?

Aguilar - Eu nunca recebi. Disse isso na época por uma questão de ética. Eu não queria que parecesse que eles estavam tirando proveito de serem o casal presidencial. Diante de Deus, é a pura verdade. Me arrependo amargamente de ter falado aquilo. Falei por impulso. Depois combinei com a assessora de imprensa de dona Marisa que ia falar toda a verdade.

Folha - Você então deu 27 terninhos para ela?

Aguilar - Foi mais ou menos isso. Acho até que foi mais um pouco.

<< Home