Não Faz Muito Tempo! Bônus-Banval, Mensalão, Doleiros e Cia. Ltda!


Globo-ON- 24 de junho de 2005.

Dinheiro do mensalão passava por corretora paulista

O dinheiro do mensalão tinha um endereço em São Paulo: Rua Pedroso Alvarenga 1.208, Itaim Bibi. Ali funcionava, até dois meses atrás, a corretora Bonus/Banval. Dona de um histórico conturbado, a corretora é apontada como a responsável por botar em prática suposto esquema usado para o mensalão.

Essa operação que seria feita por meio da Bonus/Banval. Ou pelo menos foi até bem pouco tempo. Fonte afirma que parte do 'lucro' da operação era depositada diretamente no exterior, através do envio feito pelo doleiro Alberto Yossef, que já foi preso e cumpre pena em liberdade por remessa ilegal de recursos para o exterior. Passavam pela corretora nestas operações entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões por mês e Yossef recebia 0,80% do dinheiro transportado.

As operações na BM&F foram feitas por Waldir Vicente Prado, investigado por realizar operações para Naji Nahas, impedido de operar diretamente nas bolsas. Prado era o operador da Master. Teria sido por meio desta corretora que Janene conheceu dois dos atuais proprietários da Bonus/Banval, Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado.

A Master é também investigada por suas ligações com a RS Administração e Construção, com sede no Panamá, por remessas ilegais para o exterior.

<< Home