Jornalismo Político Aveludado


Vale como referência o artigo de Dorrit Harazin no caderno Aliás do Estado de SP.

Trecho inicial.
A tragédia desenterra raízes do jornalismo

Foram cinco anos de torpor voluntário e deferência constrangida. Cinco anos de jornalismo político aveludado no tom e intimidado no tratamento da Casa Branca. Para romper o dique, foi preciso um furacão com a ferocidade do Katrina, potencializado pelo abissal despreparo do governo em responder à emergência. E coube a um comentarista da BBC, Matt Wells, perceber primeiro que a imprensa dos Estados Unidos talvez tenha sido salva pelo Katrina. "Em meio ao horror, o jornalismo televisivo americano pode ter reencontrado a sua espinha dorsal graças ao furacão", observou, logo que os canais de TV começaram a mostrar as entranhas da tragédia. No entender de Wells, "a tímida e autocensurada cultura da mídia dos EUA", que até então não fora páreo para "a magistral e agressiva máquina de emascular notícias ruins" montada pela Casa Branca de Bush. "Mas a complacência acabou e a indignação moral começou a vazar."
Blog do Cesar Maia

<< Home