Izeilton tomou a iniciativa de falar do mensalinho

Estado de Minas.
O depoimento de Izeilton à PF foi combinado previamente com os deputados José Carlos Aleluia (PFL-BA), e com Fernando Gabeira (PV-RJ), Raul Jungmann (PPS-PE) e Bismarck Maia (PSDB-CE). Izeilton procurou Aleluia por telefone. Aleluia marcou então uma conversa à noite em seu apartamento. Izeilton reafirmou a denúncia e apresentou os documentos que tinham: além do papel assinado por Severino autorizando a prorrogação do contrato, notas de um registro que mantinha em seu computador com as saídas de dinheiro para pagar o mensalinho, e a comprovação de que Buani teria pago uma despesa de cartão de crédito no valor de R$ 8 mil a Severino. A orientação dada, então, foi que Izeilton procurasse a PF.

<< Home