Interbrazil e Ademar Palocci - Relações Muito Estranhas


Correio Braziliense.
A CPI dos Bingos investigará a Interbrazil, que fez contribuições de caixa 2 ao PT de Goiás sob a coordenação de Adhemar Palocci. A empresa fechou apólice milionária para uma das empresas do Grupo Leão Leão, outra suposta fonte de propina e que teria beneficiado o ministro Palocci durante sua gestão na prefeitura da Ribeirão Preto (SP). Os dois escândalos se cruzam na Triângulo do Sol, concessionária administradora de três rodovias no interior de São Paulo, da qual a Leão Leão detém 50% das ações, que fechou com a Interbrazil contrato de R$ 211 milhões em julho de 2003.

Para o relator da CPI esse contrato será investigado a partir dos dados da quebra do sigilo bancário da Leão Leão, que já chegou na comissão. “O fato é grave e precisamos apurar todos os contratos feitos pela Triângulo do Sul”, disse Alves. O presidente da comissão, senador Efraim Moraes (PFL-PB), afirmou que a revelação pode gerar a convocação do irmão de Palocci e antecipar o depoimento na CPI, do principal acionista da Leão Leão, Luiz Cláudio Leão.

Outras evidências podem ligar os dois supostos esquemas de caixa 2: as ligações do advogado Rogério Buratti para dois telefones celulares de Goiânia e Anápolis entre novembro de 2002 e agosto de 2003. São ao todo 32 telefonemas do advogado, ex-secretário de governo na gestão Palocci em Ribeirão e que na época era vice-presidente da Leão Leão. Ex-controlador da seguradora, quando ela ainda tinha o nome de Coplaven Seguros, Luiz Antônio de Carvalho tem ligações com o PT goiano e foi candidato ao governo do estado pelo partido em 1994. Também concorreu a prefeitura e Anápolis em 1989 pelo PT e é ligado ao deputado federal Rubens Otoni (PT-GO). Procurado pela reportagem, a assessoria de Otoni não retornou as ligações. O presidente da CPI -senador Efraim Moraes disse- Essa conexão entre as duas empresas e o suposto esquema de ribeirão preto e goiânia precisa ser dissecada
Blog do Cesar Maia

<< Home