Gilberto Carvalho Acusado Por Outro Irmão de Celso Daniel. Agora Não Há Mais Como Explicar!


Estado de SP.

O professor universitário Bruno Daniel Filho, irmão do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em janeiro de 2002, confirmou ontem pela primeira vez que foi testemunha da conversa em que Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Lula, conta que entregava o dinheiro arrecadado em esquemas de caixa 2 ao então presidente do PT, deputado José Dirceu. "Eu não havia contado antes porque combinamos que a exposição de uma pessoa da família já era suficiente", disse Bruno Daniel. O porta-voz da família vinha sendo até então o irmão mais velho do prefeito, o médico Jão Francisco Daniel.

Na quinta-feira, Francisco prestou depoimento à CPI dos Bingos e citou pela primeira vez que Bruno Daniel havia sido testemunha da conversa. Afirmou que ele e Francisco foram chamados por Gilberto Carvalho para se encontrarem com Carvalho depois da missa de sétimo dia de Celso Dainel, que aconteceu em São Bernardo do Campo. No encontro, Carvalho disse a ele e a João Francisco que havia passado por situações tensas porque muitas vezes precisou levar dinheiro do esquema de corrupção em Santo André para Dirceu em seu Corsa preto.

Em uma ocasião, o total chegou a R$ 1,2 milhão. Carvalho disse também que Celso Daniel sabia do esquema. "Ficamos surpresos e passamos a acompanhar o caso mais de perto", conta Bruno Daniel. "Pedimos ajuda ao Ministério Público quando a polícia apontou para o crime comum. Com as novas investigações, estamos cada vez mais certos de que foi um crime com mandantes".

<< Home