Fundo GEAP e Bônus-Banval Operavam Juntos


Diretora foi candidata do PT a deputada estadual em SP!

Folha de SP.

O fundo de pensão Geap (Fundação de Seguridade Social), patrocinado por 13 ministérios e 20 outros órgãos públicos federais, fez duas operações de venda de títulos com a corretora de seguros Bônus-Banval, no valor total de R$ 37,8 milhões.

Anteontem, o presidente da corretora, Enivaldo Quadrado, negou que fundos de pensão fossem seus clientes, admitindo apenas a hipótese de "brokeragem" (gíria do mercado para operações de compra e venda de títulos públicos para terceiros).

A corretora é investigada pela CPI dos Correios por receber cerca de R$ 6,5 milhões do esquema montado pelo PT e pelo publicitário mineiro Marcos Valério para pagamento de gastos de campanha e outras despesas petistas e de siglas da base aliada por meio caixa dois.

As operações, divulgadas ontem pela direção da Geap, foram realizadas pela Bônus-Banval nos dias 13 e 17 de maio de 2004. A diretora-executiva da Geap, Regina Parizi, defendeu a legalidade das operações.

"Eu não conhecia [a Bônus-Banval]", disse Parizi, ex-candidata do PT a deputada estadual por São Paulo. Ela é indicada ao cargo pelos três principais patrocinadores do fundo (Ministério da Saúde, Ministério do Trabalho e INSS).

<< Home