Duras Críticas à Política de Câmbio!


Ag. Estado.

O ex-diretor da área Internacional do Banco Central (BC), Emílio Garófalo, afirmou há pouco que o nível atual da taxa de câmbio - ao redor de R$ 2,20 - imputa um risco adicional ao setor exportador e pode, inclusive, influenciar negativamente sobre a variação dos índices inflacionários. Para Garófalo, a ausência do BC no mercado de câmbio se explica pelo conforto da equipe econômica com relação ao patamar da taxa de câmbio, que tem ajudado o governo a conduzir a inflação para sua meta - de 5,1% em 2005.

"Acho que o BC não vai comprar dólar no mercado, mas gostaria que o fizesse. Já é notável que algumas empresas estão tendo prejuízo na exportações, apesar de os números da balança comercial continuarem bons". "Em excesso, o feitiço pode virar contra o feiticeiro. O economista não trabalha com um limite de resistência para a queda do câmbio e avalia que a postura do BC - de não intervir no mercado -, só deve mudar quando os indicadores inverterem sua trajetória.

"Será preciso haver uma reação, com uma queda relevante nas exportações, o que ainda não é notado. Mas, a indústria automobilística, por exemplo, já alega que tem exportado sem lucrar".

<< Home