De Provas e Evidências!


Folha de SP.

Menos de 24 horas depois de o presidente da Câmara classificar de "fraudulento" o documento de prorrogação do contrato, cópia do extrato bancário foi apresentada à Polícia Federal pelo dono de restaurante. O extrato mostra que o cheque não foi à compensação bancária, e o dinheiro foi sacado no caixa do banco. "Prova não é, mas é uma evidência, uma tremenda de uma evidência", comemorou Buani. Os R$ 40 mil corresponderiam à primeira parcela da propina paga a Severino para prorrogar seu contrato com a Câmara.

<< Home