Bônus Banval & Natimar & Valério & PT, Ltda


Primeira Leitura.

Uma corretora dirigida por um empresário argentino pode ajudar a PF a explicar boa parte das operações que o esquema do valerioduto fazia com a Bônus Banval. A PF desconfia que a empresa Natimar, que operava na BM&F por meio da corretora Banval, era fonte de recursos para doleiros. A empresa teria recebido R$ 6,5 milhões do empresário Marcos Valério, dinheiro que teria sido investido e posteriormente sacado por pessoas apontadas pelo empresário mineiro, conforme afirmou o sócio da corretora, Enivaldo Quadrado, em depoimento à CPI dos Correios. O dinheiro teria sido repassado pelas empresas 2S Participações e Tolentino & Melo Associados, nas quais o empresário Marcos Valério tinha participação. Na próxima semana, na tentativa de obter mais detalhes sobre a conta, os policiais federais ouvem o depoimento do dono da Natimar, o argentino Carlos Alberto Quaglia, em São Paulo.

Blog do Cesar Maia

<< Home