Bem, Severino é Mensalinho, e o Anterior? É Mensalex?


Estado de SP.
O relatório preliminar da auditoria realizada pelo TCU nos contratos de publicidade e propaganda da Câmara revela que a agência SMPB, do empresário Marcos Valério foi usada, na gestão do ex-presidente João Paulo Cunha (PT-SP), para intermediar até mesmo serviços de engenharia nas instalações da TV Câmara. Os auditores concluíram que a SMPB - com anuência de João Paulo - repassou para terceiros 99,9% dos serviços previstos em seu contrato, o que contraria frontalmente a Lei de Licitações.

No caso do contrato com a Câmara, segundo os auditores, a SMPB executou diretamente apenas R$ 17.091,00 dos R$ 10.745.902,17 que recebeu em 2004 e 2005. O detalhe interessante é que a SMPB venceu a licitação por sua capacitação técnica, mas seu papel se restringiu à intermediação de serviços, pelos quais recebia comissão de 5%. A auditoria detectou que Araújo também atropelou a Lei de Licitações e apresentou informações equivocadas ao pedir a aprovação de vários aditivos ao contrato da SMPB para uma campanha voltada à melhoria da imagem institucional da Câmara e do plenarinho. O orçamento original apresentado pela agência de publicidade previa um gasto de R$ 3,98 milhões, e a Câmara acabou realizando uma despesa de R$ 8,21 milhões - acréscimo de 105%.
Blog do Cesar Maia

<< Home