Aparece o Argentino que operou com a Bônus Banval

Ouro para o bem do PT.

Estado de Minas.

O cidadão argentino Carlos Alberto Quaglia subiu ao primeiro plano da crise política. Foi ele quem recebeu depósitos milionários na corretora Bônus Banval e cujo nome ainda não haviaaparecido nas investigações. Os recursos vieram da 2S Participações e da Tolentino Advogados Associados, ambas pertencentes ao empresário Marcos Valério. Também foi Quaglia quem aplicou o dinheiro no mercado futuro de ouro, engordou-o e redistribuiu a uma lista de 90 pessoas,entregue à CPI dos Correios.
Quaglia é dono da Natimar Negócios e Intermediações Ltda. Esta empresa mantém uma conta-correntena Bônus Banval. Foi para ela que a 2S Participações e a Tolentino Associados mandaram dinheiro.Marcos Valério afirma que depositou R$ 3,5 milhões. Quadrado jura que chegaram R$ 6,5 milhões. A CPI acha que na verdade por ali transitaram mais de R$ 56 milhões.
Carlos Alberto Quaglia será convocado para depor. O argentino aparentemente mora em Florianópolis. Lá, tem uma linha telefônica e outras três empresas registradas em seu nome – Nathalie Artigos de Praia Ltda, Brusa Turismo Ltda e Camptur Agência de Viagens e Turismo Ltda.

<< Home