Um Outro Afluente do Mensalão


O Globo deste sábado.

Enivaldo Quadrado, sócio da corretora Bônus-Banval, desmentiu nesta sexta-feira a versão apresentada à CPI dos Correios pelo empresário Marcos Valério.Enquanto o publicitário alegou ter investido R$ 3,5 milhões através da corretora, Quadrado afirmou que o valor chega a R$ 6,5 milhões. A maior parte do dinheiro foi utilizada para investimento no chamado ouro físico. Os rendimentos teriam sido resgatados e transferidos, por intermédio de operações bancárias, a beneficiários escolhidos por Marcos Valério. Essas pessoas ainda não foram identificadas pela Bônus-Banval. O sócio da Bônus Banval prometeu encaminhar os nomes dos beneficiários dos resgates à Polícia Federal até a próxima quarta-feira.

Quadrado contou à Polícia Federal que foi apresentado a Marcos Valério pelo deputado José Janene (PP-PR) no ano passado, quando a Bônus-Banval estava passando por dificuldades financeiras. Valério demonstrou interesse em adquirir a corretora. O dinheiro, que teria sido retirado da sede do Banco Rural, em São Paulo, foi entregue ao empresário, segundo Quadrado.

Como Marcos Valério teria desistido de comprar a Bônus Banval, a crise financeira da empresa teria resultado em seu fechamento em setembro do ano passado.

<< Home