Senta, que o LEÃO é manso

Buratti diz ter recebido "por fora" da Leão Leão
FSP.
Verbas recebidas "por fora" da Leão Leão foram responsáveis pelo crescimento do patrimônio do advogado Rogério Buratti, segundo ele declarou aos promotores que acompanharam seu depoimento na Delegacia Seccional de Ribeirão Preto (SP). Com salário de R$ 45 mil como vice-presidente executivo do grupo até março de 2004, quando se licenciou por causa do escândalo Waldomiro Diniz, Buratti recebeu outros R$ 500 mil extras da empreiteira, segundo o promotor Aroldo Costa Filho.

O dinheiro foi usado para trocar fazenda avaliada em R$ 1,2 milhão por uma empresa de ônibus, a Fadel, que atua no transporte coletivo urbano em dois municípios do Estado de São Paulo, avaliada em R$ 2,6 milhões. À Polícia Civil Buratti afirmou, durante seu depoimento no inquérito que apura a existência da "máfia do lixo", na quarta-feira, que seu patrimônio está avaliado em R$ 1,2 milhão -entre os bens estão uma casa em um condomínio de luxo em Ribeirão e dois veículos Honda Civic.

"Todas as fazendas que ele comprou ele disse que foi com dinheiro que recebeu da Leão Leão. Ele afirmou que recebeu R$ 500 mil por fora, a título de bonificação, em duas parcelas de R$ 250 mil", afirmou o promotor, que disse ainda que a empresa não está no nome de Buratti, mas que ele consta como procurador dela.

(manhã)

<< Home