Rio-Previdência: Para Não Dizer que Só Tratamos dos Federais


O que afirmam e garantem pessoas de cima da equipe da ex-governadora Benedita, é que a diretoria do Rio-Previdência-ERJ foi da escolha do sr. Marcelo Sereno e que funcionava sob o seu comando. É bom para a CPI que for tratar deste zeloso auxiliar do ex-ministro Dirceu, analisar. De valores valerianos, é o relatório do TCE-RJ - processo n. 102.980-7/03, que nas suas conclusões, às fls 405 é bem claro quando diz que:

IV- PELA IMPUTAÇÃO DE DÉBITO aos responsáveis relacionados no item V abaixo no valor de R$ 31 milhões e 409 mil, e que deverão ser atualizados na data do recolhimento.

V- Pela CITAÇÃO dos abaixo relacionados, nos termos do parágrafo 3 do art. 6 da Deliberação TCE n. 204/96, para que tomem ciencia da presente decisão plenária e recolham no prazo de 30 dias aos cofres estaduais, com recursos próprios a quantia de R$ 31 milhões e 409 mil, a ser convertida em reais na data do pagamento, autorizada desde já a cobrança executiva no caso de não pagamento no prazo estipulado. O relatório é assinado pelo conselheiro à época Sergio Quintela no dia 2 de dezembro de 2004 e encaminahdo ao MP.

Obs: os responsáveis hoje estão ganhando tempo com recursos protelatórios. O tipo de operação que fizeram é mais ou menos o que a CPI procura nos fundos de pensão das estatais federais.

(noite)

<< Home