República do Lixo


Usar IGP para lixo é um escândalo em si. Deveria ter usado o IPCA. Mas assim mesmo.............Essas eram as contas do ministro das contas.


Estado de Minas.
Pagamento a empreiteira cresceu 88%

Os pagamentos da Prefeitura de Ribeirão Preto à empreiteira Leão Leão pela coleta de lixo no município tiveram acréscimo de 88% entre a posse do prefeito Antonio Palocci em seu segundo mandato, em janeiro de 2001, e sua saída do cargo, em dezembro de 2002. O pagamento mensal pulou de R$ 962 mil para R$ 1,81 milhão. Se fosse observada a variação da inflação pelo IGP-M, como prevê cláusula do contrato, essa última fatura ficaria em R$ 1,33 milhão. A Leão Leão é acusada de pagar propina de R$ 50 mil para Palocci, durante sua gestão na prefeitura, denúncia reafirmada ontem por Rogério Buratti.

O grupo também foi contratado emergencialmente pela prefeitura de Ribeirão Preto para a operação do aterro sanitário, num total de R$ 3,8 milhões,(mês). O primeiro contrato foi assinado em 21 de janeiro de 2001, no início da gestão de Palocci. Nos meses seguintes, a cada 90 dias, foram assinados novos contratos com a empresa para a execução do mesmo serviço. O último foi fechado em 21 de janeiro de 2002

<< Home