República da Ervilha


Zero Hora

Licitação suspeita de Palocci envolve enlatado gaúcho. Caso com produto da Oderich é investigado em SP

- Uma das condições era fornecer molho de tomate peneirado e temperado com ervilhas no pacote. O produto não existia no mercado local e era comprado somente pela Gesa do único fabricante nacional, a gaúcha Oderich

- A Gesa venceu, com contrato de R$ 1,2 milhão em um ano. Mas constatou-se que todas as empresas tinham o mesmo representante. A Gesa e a Cathita tinham sócios da mesma família, que seria ligada ao PT. As empresas participavam de licitações em prefeituras petistas como Mauá, São Carlos e Araraquara

Uma lata de 330 gramas de molho de tomate refogado e peneirado com ervilhas, fabricada pela empresa gaúcha Oderich, é um ingrediente que pode complicar a situação do ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Em 2002, o então prefeito de Ribeirão Preto (SP), quatro funcionários e quatro empresas paulistas de alimentos foram denunciados à Justiça por suspeita de fraude em licitação. Até hoje, o processo civil e criminal tramita no fórum do município.

Em abril de 2004, o então procurador-geral da República, Claudio Fonteles, determinou que o ministro só irá responder pelo caso no Supremo Tribunal Federal se houver condenação de outro envolvido.

- As ervilhas foram utilizadas para dirigir o resultado da licitação. A Gesa ganhou o contrato como grande atacadista e era a única cliente da Oderich na disputa, excluindo concorrentes menores. É muito grave - disse Lopes.

O contrato previa fornecimento de 40,5 mil cestas básicas com 15 produtos por um ano para o município distribuir em programas sociais. O custo previsto era de R$ 1,2 milhão ao ano.

O Tribunal de Contas de São Paulo suspendeu a licitação em caráter liminar.


(manhã)

<< Home