Quedas Presidenciais na AL - 2 -


Outro trecho do trabalho de Kathryn Hochstetler da Universidade do Estado do Colorado- a ser apresentado na primeira semana de setembro. Como disse outra nota: em breve estará totalmente traduzido aqui em link.



As políticas neo-liberais, a corrupção pessoal e a situação de não dispor de maioria no Congresso representam fatores de risco para os Presidentes sul-americanos que desejem completar seus mandatos no cargo. Esses fatores aparecem como motivos citados das contestações que efetivamente lhes foram feitas e seis, dentre os nove Presidentes que caíram, detinham toda as três características. Os fatores de risco estavam todos presentes, de forma desproporcional, no caso dos Presidentes contestados e nos que caíram, em comparação com o conjunto completo dos quarenta Presidentes desde 1978. Ao mesmo tempo, na melhor das hipóteses, são apenas fatores causais de probabilidade. O mais impressionante é que cinco Presidentes da região também tinham os três fatores de risco e nenhum deles sofreu contestação ou caiu. "

<< Home