Quebra de sigilo revela telefonemas de Buratti para Palocci e Cafetina


O Estado de São Paulo

Além deles, o número de Marcelo Franzine, diretor do grupo Leão Leão, está entre os mais acionados pelo advogado até fevereiro

O telefone da casa do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em Brasília figura entre os cinco mais acionados pelo advogado Rogério Buratti até fevereiro do ano passado. A lista foi encaminhada à CPI dos Bingos pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. O documento identifica incorretamente o número da casa de Palocci como sendo do Ministério da Fazenda. O Estado ligou para o número e quem atendeu disse que se tratava da residência do ministro. Entre os telefones para os quais Buratti mais discou, o primeiro da lista é o celular da cafetina Jeany Mary Corner, investigada pela CPI dos Correios e apontada como organizadora das festas com garotas de programa que o empresário Marcos Valério de Souza supostamente patrocinava em Brasília. Em seguida, vem o celular de Marcelo Franzine, diretor do Leão Leão, grupo empresarial sediado em Ribeirão Preto no qual Buratti trabalhou.

Com atividades nas áreas de construção e de coleta de lixo, o Leão Leão é alvo de inquérito do Ministério Público do Estado de São Paulo pela suspeita de participação num esquema de fraude em licitações promovidas por prefeituras.

O terceiro da lista é o celular do chefe de gabinete de Palocci, Juscelino Dourado. Depois aparece outro celular, do ex-assessor da presidência da Caixa Econômica Federal Ralf Barquet Santos, morto no ano passado. O telefone da casa de Palocci vem em quinto lugar. No depoimento à CPI na semana passada, Buratti disse que não mantém contatos com Palocci, a quem disse ter visto poucas vezes, em "situações casuais e superficiais" nas quais apenas se cumprimentaram.



(manhã)

<< Home