PT-PL-Offshore


O Estado de São Paulo.

R$ 3,4 milhões e 35 cheques ligam PT e PL a offshore

O Ministério Público Federal tem provas documentais de que a Guaranhuns repassou ao PT e ao PL valores que recebeu da SMPB Comunicação, dirigida pelo empresário do mensalão Marcos Valério São cópias de 35 cheques, no montante de R$ 3,4 milhões - transferidos em apenas dois meses de 2003 para a Guaranhuns, que seria ligada a offshore (empresa de fachada) estabelecida no Uruguai, a Esfort Trading, que mantém conta nas Ilhas Cayman.

A Guaranhuns entrou no esquema entre Valério e o PT por indicação de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido. A revelação foi feita pelo empresário à Procuradoria.

Ele disse que Delúbio orientou-o a fazer transferências para a Guaranhuns depois de apresentá-lo ao então tesoureiro do PL, Jacinto Lamas, e ao presidente do partido, Valdemar Costa Neto, que semana passada renunciou ao mandato de deputado.

"A SMPB e a Guaranhuns firmaram um contrato para justificar as saídas de recursos, embora a contabilização tenha sido feita como empréstimos ao PT", declarou Valério. Segundo o empresário, Delúbio indicou a corretora Bônus-Banval para destinação de recursos. Na época, o tesoureiro do PT e Valério haviam decidido interromper a onda de saques em dinheiro vivo na boca do caixa do Banco Rural, agência de Brasília.

(manhã)

<< Home