Pós-Lulismo


O intelectual de esquerda, Boaventura de Souza Santos, escreve na FSP de hoje. Na parte final do artigo ele lança carregando de elogios, Tarso Genro, para substituir Lula.

Trecho.

O pós-lulismo pode ocorrer por várias vias: impeachment, desistência de Lula a um novo mandato, candidatura seguida de derrota. A via certamente menos onerosa, mas também a mais improvável, dadas as circunstâncias, seria um pós-lulismo conduzido pelo próprio Lula: demissão imediata da equipe econômica, redução do superávit e aumento do salário mínimo e reforma do sistema político, de modo a torná-lo mais transparente e democrático.

O problema central da esquerda brasileira é saber se o pós-lulismo será também o pós-petismo. A descaracterização do petismo por parte do governo Lula foi tão maciça e tão caricatural -montar um esquema de corrupção para fazer aprovar políticas de direita e garantir, daqui a uns anos, a presidência a um político sem qualquer credencial para o cargo, José Dirceu- que, paradoxalmente, o PT tem todas as condições de sair reforçado no pós-lulismo.

(manhã)

<< Home