Partidos Nanicos


Caro Antonio, achei tão importante seu comentário que o reproduzo abaixo.

"Garotinho ocupou mais uma vez o horário político de um partido nanico, para expor suas "qualidades" - argh - de homem público e de administrador competente, que "transformou" - argh - o Rio de Janeiro no Estado campeão de empregos. Só no final do programa se descobre que o espaço pertencia a um cidadão indigente, que falava em nome de um partido: Partido Trabalhista Cristão.

Os tempos são outros, mas o pioneiro deste comportamento esdrúxulo, de aluguel em aluguel (Collor) chegou a Presidente. Há menos de dois meses, Garotinho havia estrelado outro programete tão safado quanto este. Será que o projeto de lei do senador Bornhausen não poderia criar uma barreira contra este tipo de contravenção?"

Quem paga? Será um esquema parecido com esse que está aí? Vale a PF investigar chamando para depor o presidente desta legenda de aluguel, antes que se transforme em mais um dos casos desses que vemos nestes dias.

A cláusula de barreira certamente terminará com isso.

(manhã)

<< Home