Opinião


Julgamento Político, Não!

Para se entender a questão do impeachment ou não do presidente Lula, há que se ter uma preliminar. O argumento que o julgamento do impedimento só poderá vir se houver clamor popular, é um absurdo e uma agressão às instituições e a democracia. Se for assim em vez de CPIs, Polícia Federal, Receita Federal ,MP... o que deveríamos ter é um debate parlamentar e político e o Ibope e o Data-Folha fazendo pesquisas diárias até se chegar a taxa de impopularidade que produziriam o impedimento. Isso é ridículo.

Os fatos todos divulgados, e mais grave uma coordenação em governo com formação de quadrilha, com coordenação palaciana, destacam provas contra muitos e indícios fortes de envolvimento do presidente Lula. Com as instituições funcionando, e com as investigações que caminham e se aprofundam, o julgamento político só seria exigido se as próprias instituições e a democracia estivessem correndo riscos.

No caso de Collor, após a constituição do ministério de notáveis, que caracterizou a sua inépcia para a condução do país, o descontrole monetário e fiscal, instituições em formatação pós-constituinte, não havia outro caminho que o julgamento político em função das evidências. Agora o quadro é outro, muito diferente. Além de indícios e mesmo evidências, são necessárias provas, comprovações. Mas uma vez vindo, não se deve ter nenhuma inibição em iniciar o julgamento do presidente, independente de clamor popular, popularidade e eventuais mobilizações de rua. Neste caso a Câmara autoriza o Senado a julgar o presidente. De outra forma seria transformar uma crise política, em institucional.

(tarde)

<< Home