Offshore de Duda Recebeu de Firma Atribuída a Maluf


Outra vez o BankBoston! E Meirelles, caladinho...

A offshore Agata, que intermediou pelo menos US$ 1,5 milhão em transações financeiras atribuídas ao publicitário Duda Mendonça e à sua sócia Zilmar Silveira, recebeu uma remessa, também de US$ 1,5 milhão, de uma empresa ligada ao ex-prefeito Paulo Maluf. A Agata, com sede nas Ilhas Virgens Britânicas -um paraíso fiscal- e controlada por doleiros de São Paulo, recebeu uma remessa de US$ 1,5 milhão no dia 1º de julho de 1997 da offshore Durant International.

Para o Ministério Público do Estado de São Paulo, conforme documentos fornecidos pela Justiça suíça, a Durant, com sede em Londres, é uma offshore -empresa cujos nomes dos sócios são mantidos sob sigilo- controlada por Maluf e seus familiares. O registro da operação consta da base de dados do MTB Bank, dos EUA, que integra os arquivos da CPI do Banestado.

Por meio de sua assessoria, Maluf negou ter feito transferências no exterior ao publicitário. Duda não foi encontrado ontem. Na base de dados do MTB constam 21 operações financeiras atribuídas a Duda e a Zilmar, entre 1998 e 2002, num total de US$ 1,5 milhão. As movimentações são intermediadas pela Agata. A Duda, são atribuídas sete operações. Em todas elas, o dinheiro sai de uma conta no BankBoston nos EUA rumo à Agata.

Total movimentado: US$ 546.285.Zilmar, em 14 operações financeiras, girou US$ 943,41 mil. Realizada em 1º de julho de 1997, a remessa de US$ 1,5 milhão da Durant para a Agata não tem coincidência de data com as operações atribuídas a Duda ou Zilmar. Em 1997, o banco de dados associa a Zilmar uma única operação, de US$ 150 mil.

(manhã)

<< Home