Não Houve Calote


Ao responder ao vice-presidente da CPI, Valério deixou claro que não houve calote da campanha de Eduardo Azeredo ao governo de MG em 1998. Na verdade, ele disse, que o empréstimo estava garantido com a transferência de direitos creditórios do governo de Minas Gerais sobre contratos da agência de publicidade de Valério. Entretanto o governador eleito Itamar Franco cancelou a autorização e o empréstimo ficou solto. Valério disse que um representante do Governo de Minas Gerais assinou a transferência.

Cabe agora saber se aquela autorização foi regular e quem assinou. Portanto não foi um simples calote.


(noite)

<< Home