MP-SP, Não Vai Ficar Por Ali Apenas!


Palocci bateu... e vai levar.

"Chefe" é citado 5 vezes em conversas

Folha de SP - Nas gravações em poder do Ministério (SP) relativas às investigações sobre a máfia do lixo em cidades de São Paulo, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, é mencionado de forma direta ou indireta em pelo menos cinco conversas.

O ministro é tratado como "chefe" pelos ex-assessores Rogério Buratti e Wladimir Poleto (ex-chefe de Controle Interno da prefeitura entre 2000 e 2001). Buratti confirmou, à Polícia Civil na última sexta-feira, que Palocci era o "chefe" citado nas conversas. Buratti descreveu conversa em que mencionou o ministro. A possibilidade de estar sendo monitorado pode ter levado Buratti a empregar apelidos e apenas letras para se referir a pessoas da alta cúpula do Ministério da Fazenda.

Em um dos telefonemas, Buratti também sugere ter trânsito na Receita Federal. Ele foi acionado em maio do ano passado por um ex-sócio e amigo, Luiz Antonio Prado -que também foi chefe da Comissão de Licitações da prefeitura em 2002, na segunda gestão de Palocci em Ribeirão-, que queria ajuda para resolver um problema no órgão. O chefe-de-gabinete de Palocci, Juscelino Dourado, volta a ser citado.

Prado pede ajuda a Buratti para conseguir certidão negativa de débito com a Receita para participar de uma licitação em Ribeirão Preto. A certidão serviria para a Assessorarte, empresa que organiza concursos públicos, disputar um leilão da Prefeitura de Ribeirão Preto. O próprio Buratti foi sócio dessa empresa até 2001 e sua irmã, Rosângela, era uma de suas diretoras até o ano passado.


(manhã)

<< Home