Mais República do Lixo


Contrato de coleta não era "exatamente" o mesmo. O que importa -PREÇO- bem,....este subiu,...e muito.


Estado de SP.
Gasto com lixo cresceu nos governos do PT

Dados da prefeitura de Ribeirão Preto revelam que, quando Antonio Palocci esteve à frente da administração municipal, a cidade passou a gastar mais com o recolhimento de lixo.

O aumento se deu nas duas gestões do hoje ministro da Fazenda, entre 1993 e 1996 e nos anos de 2001 e 2002. Na entrevista em que rebateu as acusações de seu ex-assessor Rogério Buratti, Palocci garantiu nunca ter recebido nenhum dinheiro da empreiteira Leão Leão para garantir à empresa contratos com a prefeitura. O ministro lembrou que o principal contrato de lixo obtido pela empresa foi assinado na gestão anterior à dele, do tucano Luiz Roberto Jábali.

O que Palocci não mencionou é que, pelo documento, a prefeitura de Ribeirão Preto pagaria R$ 17 por tonelada recolhida. Logo após a posse do petista, o contrato sofreu sucessivos aumentos e chegou a R$ 23,31 por tonelada em 2002, quando ele deixou a prefeitura. Depois disso, continuou subindo, até chegar a R$ 32,76 por tonelada no final de 2004.

<< Home