Mais Duda Off-Shore


Notíca na FSP hoje.


Azeredo

Uma das suspeitas da PF é que Duda não seria um iniciante na prática de receber pagamento com origem em caixa dois de campanha. Uma das possibilidades, segundo dados colhidos na investigação, é que a movimentação no exterior tenha também sido alimentada por um suposto pagamento paralelo referente à campanha de reeleição do tucano Eduardo Azeredo para o governo de Minas Gerais, em 1998. O valor oficial dos serviços prestados pelo publicitário, conforme a investigação, foi de R$ 700 mil. Mas a conta real seria de R$ 4,5 milhões. A diferença dos valores, de R$ 3,8 milhões, poderia ser uma das fontes das operações intermediadas pela offshore Ágata. Azeredo nega que soubesse de qualquer irregularidade na contabilidade de sua campanha e diz que o responsável era o tesoureiro Cláudio Mourão. Entre 1999 e 2000, Duda mandou 14 remessas de dinheiro para a Ágata, todas elas saindo do BankBoston. O movimento somou U$ 1,09 milhão.

As operações de Zilmar, num total de 15, têm perfil variado. A sócia de Duda tanto manda dinheiro para a Ágata como recebe quantias da offshore. A primeira remessa da sócia de Duda ocorre em 28 de fevereiro de 1997 (US$ 150 mil) -é a única naquele ano. As demais começam em 1998 e se estendem até 2000. Ao todo, ela movimentou, por meio do MTB, US$ 943.415.

(manhã)

<< Home