Lula e as Eleições:


Jogar as responsabilidades a quem foi corrompido e não a quem corrompeu. E manter a companheirada empregada ganhando para a vida toda.

Folha de S.Paulo -Eliane Catanhade. Trechos.
Sem escapatória
Nem impeachment, nem renúncia, nem desistência da reeleição. Lula já bateu na mesa e está candidatíssimo em 2006, para o que der e vier. A crise no PT só corrobora essa decisão -ou intenção. No melhor cenário, o novo "núcleo duro" do governo avalia que as denúncias são tantas e tão difusas que acabam se concentrando no Congresso, deixando Lula respirar.
Temos hoje um governo sem partido e um partido sem governo. Mas o petismo é nada sem o "lulismo", e o "lulismo" precisa muito do petismo. Com ou sem amor, o destino dos dois parece entrelaçado até a morte. Até segunda ordem (ou dependendo dos fatos...), Lula é candidato. Para ganhar ou para perder.

<< Home