Lembram?


E como tentaram colocá-lo num ponto chave. Por ser estrangeiro a lei não permitia. Que sorte que ele deu. Ia ser assessor especial da Secom de Gushiken. Então foi fazer -aquilo- no Duda Mendonça.

FSP !
São Paulo, sábado, 03 de maio de 2003

Marido de Marta Suplicy vai receber R$ 6.300 por mês

Favre é nomeado pelo governo e será assessor especial de Gushiken

Foi publicada ontem, no "Diário Oficial", a nomeação de Luís Favre, 53, marido da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, como assessor especial na Subchefia de Assuntos Federativos da Casa Civil da Presidência da República. O "DO" registra o assessor como
Felipe Belisário Wermus Dit Luis Favre, nome adotado por ele e que adiciona seu pseudônimo. Favre irá receber R$ 6.300 mensais, valor que corresponde à segunda maior faixa salarial de funcionário comissionado (DAS 102.5) do governo federal.

Apesar de nomeado pela Casa Civil,
Favre vai trabalhar com o ministro Luiz Gushiken, da Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica da Presidência, na área de relações internacionais do governo.
A Casa Civil informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que esse caminho foi adotado porque não havia,pasta de Gushiken, uma vaga de DAS. Assim que surgir uma disponibilidade, Favre será formalmente transferido da Casa Civil.

O nome de Favre foi citado no depoimento de um estelionatário em inquérito policial sobre a viaçãode ônibus paulistana Cidade Tiradentes. Segundo Gelson Camargo dos Santos, o marido de Marta seria "padrinho" de um esquema que envolve empresas de ônibus e administração municipal. E teria recebido US$ 300 mil para uma "caixinha".

(manhã)

<< Home