Fundos de Pensão II


Especialista, oculto-virtual, comenta nota sobre Fundos de Pensão

"Acabei de ler o post sobre o pedido do Deputado Fruet... realmente um pedido inteligente, mas demasiadamente complexo, tanto para sua realização considerando a baixa capacidade técnica de alguns dirigentes de fundos, como para a compreensão do grande público.

Seguem dicas sobre procedimentos mais simples que sempre foram usados ao longo da última década:

1) É preciso verificar corretagem paga nestas operações, comparando com as práticas de mercado, onde o nível de devolução destes custos costuma superar 90% ... se a taxa de devolução praticada for inferior a isso, será necessário quebrar mais sigilos das corretoras e dos "laranjas" que provavelmente recebem a "devolução" por fora...

2) Compra e venda de ações, de carteira própria e de fundos exclusivos geridos por terceiros, onde analisando preços de compra e venda com a série histórica e sobretudo os volumes, identifica-se facilmente que as operações não são feitas nas melhores condições, ou seja, alguém ganha dinheiro na outra ponta com muita facilidade...

3) Cabe ressaltar que a tríade dos grandes fundos ainda insiste em investir em renda variável e outros projetos, fugindo da praticidade de ter títulos públicos com as elevadíssimas taxas de juros mais que suficientes para cobrir as metas atuariais... alguns desses projetos constituem verdadeiros "ralos" e necessitam de constantes "operações de saneamento", com sucessivos aportes financeiros... E é muito simples localizá-los: costumam ser feitos através de debêntures que são repactuadas sucessivamente, após um tempo essa dívida é convertida em ações, e posteriormente existem novos investimentos diretos. Empreendimentos imobiliários como hotéis, parques temáticos e shoppings também costumam "requerer" esses aportes...Uma simples análise dos demonstrativos trimestrais de investimentos (DAIEA) pode servir de ponto de partida pra localizar esses problemas."

(manhã)

<< Home