Fraude e Mentira


Leiam abaixo a desculpa que a presidência da república deu ao TCU sobre excesso de saques em dinheiro com o cartão corporativo que sua equipe usava. É inacreditável a cara de pau. Hotéis -não só aceitam- como exigem. E ainda diz que "tem orientado". Argh! Agora temos duas fraudes: a do cartão e a desculpa sobre o cartão.

TC-001110/2004-0
Ministro-Relator Marcos Vinicios Vilaça


Como se observa, em 2004, até o mês de agosto, os saques representaram 38% da despesa total realizada pela SA/PR com o cartão corporativo. Considerando os suprimentos não relacionados às peculiaridades da Presidência da República, o percentual sobe para 60%. Por meio da SI 04/2004, item ‘b’, foi solicitado ao Titular da UG manifestar-se sobre a execução expressiva de despesa mediante saques. Em resposta, o Gestor alegou (fl. 70), em síntese, que:
a) da movimentação total por saque (R$ 2.210.726,00), cerca de 78% (R$ 1.735.840,00) corresponde a gastos relacionados a peculiaridades da Presidência da República;
b) há despesas que não podem ser realizadas mediante transação a crédito, quer pela natureza do gasto (‘hospedagem, locação de automóveis, entre outras’) quer pela localidade da viagem (‘regiões não atendidas pela rede VISA’) ou, ainda, ‘pela cobrança dos serviços realizados a posteriori do término da viagem’, hipótese em que, ‘devido ao impedimento da assinatura em arquivo [v. item 3] ..., o único meio de pagar a fatura é por meio do saque’;c) a SA/PR ‘desconhece qualquer vedação legal para a utilização do cartão de crédito apenas na modalidade saque’; d) em relação aos agentes supridos de pequeno vulto, o valor sacado não ultrapassa o limite concedido pelo ordenador de despesa;
e) de todo modo, a Secretaria ‘tem tentado conscientizar seus agentes a evitar o saque’.

<< Home