FHC Abre o Verbo 2


"Não sei se o presidente sabia de tudo. Mas como não o considero néscio nem ingênuo, de um modo geral tinha que saber que havia mais coisas entre o céu e a terra do que seus amigos dizem que ele sabia. Pergunte à Ana Tavares [secretária de Imprensa nos dois mandatos de FHC] ou ao Clóvis Carvalho [ex-chefe da Casa Civil] se eles teriam ou não coragem de me dizer que alguém estaria roubando. Estou certo de que a resposta será positiva. Já disse que de algo ele sabia.

Mas saber não é suficiente para incriminar alguém: não há evidência de sua participação nos casos
apontados. Impeachment é decisão política muito séria. Precisamos pensar em suas conseqüências para o Brasil e para o jogo político, inclusive o eleitoral. Mas havendo provas, gostemos ou não e sejam quais venham a ser as conseqüências políticas. Acho que será muito ruim se ele não terminaro mandato. Mas faço a ressalva: se acontecer alguma coisa, paciência. A Constituição deve ser cumprida. Vou torcer para que isso não aconteça”.

<< Home