Ex-assessor de Gushiken Não se Explica


Da Agência Folha.

A CPI arguiu a MM Consultoria suspeita de receber R$ 2,09 milhões da Gtech, empresa que tem a concessão da exploração das loterias da CEF (Caixa Econômica Federal). A prorrogação de contrato entre a CEF e a Gtech foi feita no início de 2003, pelo prazo de 25 meses. Este contrato está sob investigação da CPI. Para tentar acabar com as dúvidas causadas pelos dois depoimentos, a comissão realizou no final da tarde uma acareação entre Coelho e Santos Neto, considerada 'infrutífera' na opinião dos membros da CPI.

Além de sócio da MM Consultoria, Marcelo Coelho Aguiar foi também assessor da Secretaria de Comunicação do governo Lula. Em seu depoimento, Coelho nega que a sua empresa tenha recebido dinheiro da Gtech.

Indagado sobre os depósitos feitos nas contas da MM Consultoria, que acordo com as denúncias publicadas na imprensa são oriundos da Gtech, Coelho afirmou ter recebido de sua secretária, em Belo Horizonte, a informação de que os depósitos foram o pagamento de uma ação judicial junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) ganha pela MM. Os depósitos, no entanto, coincidem com movimentações financeiras consideradas suspeitas do ex-assessor da Casa Civil da Presidência da República Waldomiro Diniz, explicou o senador Magno Malta (PL-ES).

(noite)

<< Home