Esse foi o segundo prefeito assassinado


E nada se fez na para esclarecer. Estranho.


Estado de SP. Trechos.

Toninho do PT: a promessa esquecida

Em Campinas, durante comício antes da eleição de 2002, Lula prometeu pôr a PF para apurar crime, mas mudou de idéia ao se eleger

"Estou mexendo em coisas lá em Viracopos, não sei exatamente o quê", advertiu sua mulher, pedindo atenção redobrada para a segurança da única filha do casal. Em 1999, Toninho já havia provocado a ida da CPI do Narcotráfico a Campinas, entregando um dossiê à comissão, com indícios contra empresários poderosos da cidade.
Quando vice-prefeito e secretário de Obras na gestão de Jacó Bittar (1989-92), Toninho já havia motivado escândalo, denunciando o prefeito por superfaturar contratos. Bittar, amigo Lula da Silva, viu sua carreira arruinada, e teve de deixar o PT que ajudara a fundar. O assassinato do prefeito deu início a uma seqüência impressionante de ações desastrosas da polícia. Antes da perícia, o local do crime foi invadido por curiosos, o corpo foi revirado, objetos desapareceram do carro, reaparecendo meses depois.
Quando esteve na cidade, em comício para 25 mil pessoas antes da eleição de 2002, o então candidato Lula prometeu colocar a PF no caso, se se elegesse. Depois que assumiu, o presidente mudou de idéia.O presidente disse a Roseana, porém, que não poderia colocar a PF no caso.O Ministério da Justiça informou ao Estado que a PF não pode mais investigar o caso porque ele está "sub judice", ou seja, aguardando julgamento. Somente o juiz poderia reabrir a investigação, recomendando a participação da PF.

<< Home