Entrevista de Palocci - Parte 2


1. Critica os procuradores de SP que informaram antes do depoimento de Buratti terminar. Como se confiasse no que Buratti disse e daria.

2. Reforça o depoimento de Buratti quando trata do dinheiro que ia para o PT, negando cabalmente. O Buratti teria ouvido isso do secretário de fazenda que já morreu. Portanto não há como fechar. Mas quanto ao dinheiro ter ido para a prefeitura (já provado na contabilidade da Leão) apenas fica a expressão de antes: NÃO AUTORIZEI.

3. Diz que Juscelino foi sócio do Buratti. Mas que não há prova que por isso marcou agenda para indicações do Buratti.

4. Diz que matérias na imprensa "traduziram o que o depoente (Buratti) falou". Que Buratti depôs em situação constrangedora -algemas, camburão, uniforme, (cita o que disse advogado). E por isso depôs para se livrar". Portanto volta a defender Buratti. Pode-se suspeitar por isso, que conseguiu interlocutor com Buratti de sexta para hoje.

5. Volta a concentrar seu argumento no ministério da Fazenda e na economia brasileira, desviando o foco que é Ribeirão Preto.

(tarde)

<< Home