Em Busca do Tesouro do PT


O BankBoston -de Meirelles - está calado.


Duda recebeu de oito empresas virtuais
FSP- Trechos:
A conta bancária aberta pelo publicitário Duda Mendonça para receber R$ 10,5 milhões no paraíso fiscal das Bahamas foi abastecida por pelo menos oito empresas virtuais -incluindo três ligadas ao Banco Rural de Belo Horizonte (MG)- que mantinham ou mantêm contas abertas nos Estados Unidos.

Cópias de documentos entregues anteontem por Duda à CPI dos Correios indicam o recebimento de pelo menos US$ 1,5 milhão em transferências dos EUA para a offshore de Duda, a Dusseldorf Company Ltd.

As empresas offshore que abasteceram Duda foram: Deal Financial Corp., Radial Enterprise, Kanton Business Corp., Sm Import e SM Comex, Trade Link Bank, Rural International Bank e Banco Rural Europa S/A.
Uma tabela, que teria sido produzida pela empresa de Marcos Valério, também entregue por Duda à CPI,aponta o envio de outros R$ 5 milhões, dessa vez sem origem identificada.

Na CPI, Duda disse que acertou com o PT um "pacote global" de serviços para as campanhas eleitorais de 2002.Ele não separou os gastos por candidato. Duda disse ter criado a Dusseldorf, nas Bahamas, com o único objetivo de receber, em remessas efetuadas em 2003, dinheiro para a quitação das dívidas do PT. Cerca de R$ 10,5 milhões chegaram à conta 0010012877 da Dusseldorf no BankBoston, após passar por contas de pelo menos quatro instituições -o Israel Discount Bank of New York, um braço do Banco Rural em Portugal, o Florida Bank e o Fleet Bank,dos EUA.

Segundo Duda, os R$ 10,5 milhões ainda hoje permanecem "à disposição de um trust vinculado" ao BankBoston sediado em Miami, na Flórida (EUA).Offshore e trust são empresas de papel cujos donos têm sua identidade preservada pelo sigilo. Duda disse à PF que abriu a offshore nas Bahamas sob orientação do "BankBoston Internacional".


(manhã)

<< Home