Congresso vai reduzir os gastos de campanha


TV será só com candidato no estúdio.


Comentário: De fato a redução dos gastos de campanha com a probição de programas eleitorais de TV - com externas - é substancial. Mas há efeitos colaterais:

1) aumenta o favoritismo de quem abre com vantagem, pois os espaços da oposição para criticar com imagens de TV desaparecem;

2) aumenta em muito a importância da cobertura da campanha pelos meios de comunicação que terão o monopólio das imagens, e darão a agenda das campanhas. A cobertura das TVs, se não for isenta, especialmente a TV de maior audiência, poderá ser decisiva;

3) aumenta a vantagem dos politicos treinados em TV, quase atores, que poderão se utilizar das técnicas da narrativa e das expressões, caras e bocas;

4) aumenta a vantagem dos rostos televisivos, -típico da beleza madura dos senadores norte-americanos.

(manhã)

<< Home