Comentário


FUJIMORI E AS PESQUISAS

A proibição da divulgação de pesquisas de opinião, quinze dias antes das eleições, foi, ao ver de analistas na época, a grande contribuição para a vitória de Alberto Fujimori nas presidenciais de 8 de abril de 1990.

Aos olhos de todos os analistas, era ele o candidato com menores possibilidades de vitória eleitoral, um agrônomo, sem qualquer experiência administrativa e, ainda por cima, “chino” (apelido depreciativo dos asiáticos).

Cresceu discretamente enquanto Vargas Llosa e os candidatos -aprista e de esquerda- se desmontavam. Não havendo percepção pública do fato, as pesquisas internas não deram importancia ao crescimento gradual contra a queda dos concorrentes de Vargas Llosa.


NAPOLEÃO III e AS PESQUISAS

Num seminário sobre pesquisas eleitorais realizado na França uns 20 anos atrás, discutiu-se as razões da vitória eleitoral do -depois, por golpe- Imperador Napoleão III.

A vitória no voto foi surpreendente pois era um candidato considerado folclórico e outsider. Naquele seminário se disse que se existissem pesquisas eleitorais a vitória de Napoleão -depois III- seria improvável pois se conheceria a dinâmica de seu crescimento.

(tarde)

<< Home